CENTRAL DE RESERVAS: +55 11 5051-2919 SEG A SEX DAS 7 ÀS 19H

As belezas naturais do Mangal das Garças

Apesar de tantos prédios, asfaltos e demais características que envolvem o cenário urbano, existem espaços que nos encantam através da fauna e flora de Belém. Um desses lugares incríveis é o Mangal das Garças, ponto turístico imperdível, que você não pode deixar de visitar em Belém.

Mangal das Garças. Foto retirada do site www.mangaldasgarcas.com.br

A HISTÓRIA
Em 2005, o Governo do Pará revitalizou uma área com aproximadamente 40.000 metros quadrados às margens do Rio Guamá, próximo ao centro histórico de Belém e assim, surge o Parque Naturalístico Mangal das Garças.

A transformação foi cuidadosa. Os responsáveis deveriam aproveitar ao máximo as condições paisagística da área. A ideia se desenvolveu a partir da criação das macrorregiões do Pará: as matas de várzea, terra firme e os campos.

Aves, lagoas, vegetações típicas que em conjunto a áreas de lazer, restaurante e uma vista espetacular da cidade e do rio, o Mangal das Garças se tornou um dos lugares mais elogiados de Belém.

Visão panorâmica do Mangal. Foto retirada do site www.mangaldasgarcas.com.br

PARQUE AMBIENTAL
A preocupação com a vegetação é um dos traços mais marcantes para a construção do Mangal, as árvores originais foram preservadas e o ambiente foi estruturado para receber os animais. De acordo com cada microrregião, foi certificado que a flora característica fosse levada a cada cenário que compreende o seu desenvolvimento.

Veja abaixo as principais espécies do Parque:

Bacurizeiro
Platonia insignis

O bacuri pode ser encontrado na floresta Amazônia e próximo a áreas de várzeas de pequenos rios. É conhecido também como Bacuri de Bico, Bari-pari e Bacupari-açú.

Bacuri. Foto: http://www.garotajambo.com/2016/10/manteiga-de-bacuri-nutricao-energizacao.html)

Aningal / Aningas
Montrichardia linifera

É uma macrófita aquática, planta herbácea que cresce na água, em solos cobertos por água ou em solos saturados com água. É uma espécie com capacidade de absorver grandes quantidades de minerais presentes no solo.

Mirante do Rio, em frente a Baia de Guajará, e ao seu redor, o aningal.

Açaizeiro
Eutérpe oleracea

O açaí, também chamado, açaí-branco, juçara, palmiteiro, piná e tucaniei, é uma palmeira que produz um fruto de cor roxa muito utilizado na confecção de refrescos, sucos, sobremesas e, como alimento para os moradores da região Norte.

Açaizeiro. Foto: Rafael Rocha

ZOÓLOGICO
Em meio às árvores e rios, há uma grande diversidade de animais que são cuidados com grande carinho, pela equipe de biólogos que trabalham no local. O espaço também recebe animais visitantes, ou seja, entre 50 a 60 garças que circulam por Belém dão um pulinho regularmente no viveiro.

O Mangal teve o cuidado em reproduzir a geografia da costa paraense, para que os animais pudessem se sentir em casa.

Veja as principais espécies do Zoológico do Mangal:

Flamingo
Phoenicopterus ruber

A espécie Flamingo Chileno pode ser encontrada no sul do país. A sua alimentação na natureza é composta principalmente de vegetação e invertebrados aquáticos. Em grande parte desses invertebrados está presente uma substância chamada caroteno que confere ao animal a coloração rosada.

Flamingo. Foto: Chris Wood

Borboleta Júlia
Júlia (Dryas iulia)

A borboleta-júlia, também conhecida como flambeau, pode ser encontrada nas três Américas. A sua alimentação é basicamente de folhas de maracujá. É a espécie que tem vida mais longa, chegando a atingir até seis meses.

Borboleta Júlia.

Garça Branca Grande
Ardea alba

Encontrada principalmente no Pantanal, costas do sudeste, nordeste, norte e rios de todo o território. A garça branca grande alimenta-s principalmente de peixes, mas já foi vista comendo quase tudo o que possa caber em seu bico. Além disso, pode consumir pequenos roedores anfíbios e répteis.

Garça Branca Grande

Quer saber mais sobre esse e outros assuntos relacionados a viagens? Então continue acompanhando o blog do STADA Hotéis!